LOOKBOOK DIFERENTÃO | Tchoi Moi + AGE

Hoje a gente vem aqui para mostrar para vocês uma parceria que deixou a gente muito feliz de fazer parte: da loja AGE!

Nós adoramos como as roupas de lá são super diferentonas e ajudam a montar um look super fora do que a gente tá acostumado, e isso é ótimo, por isso que aproveitamos e fizemos um vídeo super conceito e umas fotos muito shocks de monstro. E o melhor: as roupas de lá são agêneras, então é pra todo mundo vestir e ser feliz!

Se liga no vídeo urban-conceitual-boho-chic-americasnexttopmodel-like que fizemos também:

Não esquece de seguir a AGE no Instagram, Facebook e conferir a loja online deles, porque a coleção tá bafo!

Quer ver mais fotos do ensaio? Segue a gente nas nossas redes sociais porque vamos postar fotos inéditas por lá também. ( ͡° ͜ʖ ͡°)

@rafzoliveira @heyrentz @kekariv @rafaelric @ca__c @lolamolusca

Facebook Tchoi Moi | Instagram Tchoi Moi

Desventuras em Série: O que eu achei

Hoje vim aqui falar pra vocês sobre Desventuras em Série, uma série que conta sobre uma série de desventuras de três personagens bem singulares e um vilão bem abobalhado (e mau, do jeitão dele).
Essa série é baseada nos livros de Lemony Snicket (pseudônimo de Daniel Handler) e no filme lançado em 2004 e conta uma história nada feliz de três crianças que passam perrengues danados durante a série inteira. Inclusive, achei que o mais interessante de tudo foi que a Netflix fez uma campanha contrária à série, avisando, desde sempre, que ela não continha cenas felizes e que é somente desgraça a parada toda.

Acredito que tenha dado tão certo, porque temos o costume esperar um final feliz e assistimos cada segundo na expectativa de que algo bom aconteça. Vou contar pra vocês que me pregaram muitas peças durante as cenas, achava que a hora boa ia chegar. Não chegava.

Gostei muito da forma com que a história é levada: temos um narrador!!! Eu adoro isso, foge do padrão! Durante toda a história, alguém (no caso, o autor, interpretado por Patrick Warburton) vai dando deixas e ligando informações pra que a história siga a diante.

Os personagens parecem ter sido construídos de forma bastante cuidadosa, também. Temos a Violet, que é uma garota de 14 anos com uma inteligência incrível que consegue fazer a nova estátua da liberdade com uma meia e um pó de café, se quiser; O Klaus, irmão do meio, que devora livros e por isso tem sempre informação necessária guardada na cachola (o que ajuda muito a Violet a completar os pensamentos e criar as invenções); E temos a Sunny, um bebê bem fofinho, que faz apenas resmungos durante a série inteira, mas é traduzida com frases, muitas vezes, complexas, o que traz um certo humor nas cenas mais sombrias.

 

Além dos três, temos o vilão da porra toda: Conde Olaf. No filme ele é interpretado pelo Jim Carrey, mas aqui é interpretado pelo Neil Patrick Harris, que traz um personagem ainda mais sombrio e maléfico do que o do filme.

A trama gira em torno da busca de novos tutores para os três irmão depois que, supostamente, os pais morreram num incêndio. O Conde Olaf tenta, de todas as formas, conseguir a guarda das crianças pra colocar as mãos na grana, mas é um personagem bem burrão e que só faz as famigeradas cagadas, além de ser extremamente egocêntrico. As crianças passam por uma série de tentativas de encontrar alguém para cuidá-las, mas o Conde acaba com todas as tentativas e faz uma zona na história toda. E a história, apesar de sombria e sem momentos felizes, consegue trazer um Q bem característico de humor, o que deixa leve a sequência pesada de desgraças.


Comparando o filme com a série, achei os dois bem válidos, uma adaptação muito bacana (não li os livros, me julguem). Mas achei o cenário da série mais legal. Talvez pela liberdade de tempo, eles tenham podido explorar mais objetos de cena e etc. Os figurinos, a maquiagem, toda a fotografia traz à tona o clima da triste história. Como se algo fosse colorido, mas já estivesse apagado. Achei muito legal a forma com que todo o visual passa o drama com uma pitada de humor.

Enfim, assisti a série em 3 dias (os episódios tem por volta de 40 minutos e a primeira temporada tem 08 episódios, no total) e fiquei realmente sem reação quando percebi que tinha acabado. Não sei se pela sensação de que algo bom realmente poderia acontecer e ainda não havia acontecido, ou se porque a história te prende pela beleza e cuidado da fotografia, como eu já contei pra vocês.

Eu adorei a série e se você gosta de filmes, séries e histórias “não tão pé no chão”, e de algo mais teatral, acho que deveria se entregar à Desventuras em Série. Ela é, de certa forma, mágica e eu acho mesmo que vale a pena pra quem tem esse gosto mais peculiar pra filmes e séries.

E aí, vocês já assistiram? Me contem o que vocês acharam e me dêem mais dicas de o que assistir agora que meus dias ficaram mais vazios sem as Desventuras.

Um beijo, dears.

MØ: Você NÃO PODE perder no Lollapalooza!

Todo ano o Lollapalooza traz gente foda pro Brasil, e a gente tem a chance de ver uma porrada de show de uma só vez e pirar por semanas a fio só de lembrar. Esse ano tem The Weeknd, Metallica, Strokes, The XX, Flume… Muita gente boa mesmo e já consagrada na música.

Agora, o que você não pode perder pra conhecer, rever ou apenas venerar, se já for fã, é essa dinamarquesa maravilhosa da MØ. A gente te lista os motivos:

ELA TEM MÚSICAS ÓTIMAS, UÉ!

A MØ é nossa princesinha do eletro-pop-punk-dançante e nós vamos defendê-la até o fim. É difícil não ficar com uma música dela na cabeça ou não amar alguma participação que faz com algum DJ e cantor famoso (cof cof Justin Bieber cof cof) por aí. Duvida? Aperta o play:

ELA TEM UM ESTILÃO DA PORRA

A MØ tem um estilo bem autêntico e diferentão. De todas as pessoas que já vi, provavelmente o guarda-roupa dela é o que eu copiaria de cabo à rabo. Às vezes ela é 100% rocker, outros mais esportiva, outros mais menininha, mas sempre, sempre mesmo, com a pegada diferentona. Tanto nos clipes quanto na vida real e nos shows, a bixa fecha! 


ELA ARRASA AO VIVO

A tristeza da vida de quem tem um ídolo na música é ir no show e a parada ser totalmente diferente do que toca no álbum – pelos motivos ruins. Com a MØ não tem esse problema, porque a voz rouca dela é a mesma que no álbum, e a música não perde a essência. Já passei dias ouvindo lives dela no youtube e amando até mais que as versões do album, olha aí. Vai dizer que esse não é o motivo chave pra vê-la no Lolla?

 



ELA TAMBÉM FAZ COVERS (E SÃO ÓTIMOS)

Somos fãs de artista que faz cover de outros artistas, e a MØ, ainda bem, é uma delas. Ela já fez cover de Spice Girls, Frank Ocean, e ficou tudo ó, muito bom mesmo! Estamos na torcida pra que role algum coverzinho no Lolla!

Espero que esses sejam motivos suficientes para vocês amarem e respeitarem essa diva que todo mundo já quer copiar. Conta aí embaixo qual cantora que parece com o estilo da MØ que vocês curtem também!

Black Mirror: A série mais tensa que você respeita

Eu demorei um tempão pra assistir essa terceira temporada de Black Mirror porque, na real, estava numa onda de preguiça extrema para acompanhar séries, filmes e qualquer outra coisa que exigisse muito tempo da minha atenção. Não foram tempos fáceis para quem sofre de ansiedade, mas as coisas melhoraram desde então e, nessas minhas férias, resolvi dedicar uma tarde inteira para assistir aos seis episódios do seriado. E o que eu tenho a dizer é: do caralho. 

Encerro meu post aqui, bjs. 

Aloka rs 

Eu resolvi me despir de qualquer compromisso anti-spoiler, e resolvi comentar episódio por episódio com as minhas impressões sobre. Se você não entendeu, aviso: CONTÉM MUITOS SPOILERS.

 

EPISÓDIO 1: NOSEDIVE

Nosedive é o episódio que eu mais curti e mais odiei ao mesmo tempo. Eu amei porque a estética e a narrativa foram impecáveis, na minha opinião. Eu amo a personagem da Bryce Dallas Howard, da trajetória dela durante o episódio e como ela termina no final. O que eu odeio nesse episódio é o quanto ele é parecido com a nossa realidade, só que, claro, num nível muito exacerbado de como curtidas tem importância no mundo real. Ele parece muito longe do que vivemos, mas, falando sério, o quão longe realmente é? 

Minha parte favorita é quando ela se liberta e fala todas as merdas e palavrões que tem vontade, dando um foda-se para sua pontuação que vai lá pro ralo. Diva rs

 

 

EPISÓDIO 2: PLAYTEST

Eu adoro um bom filme de terror – ruins também -, então esse episódio veio muito bem. Eu simplesmente AMEI, e posso dizer que foi meu favorito. Os plot twists que tem nele me deixaram boquiaberta, e apesar de não achar que tem tanta reflexão assim embutida, eu adorei e fiquei com um baita medo de imaginar um futuro com jogos de realidade virtual tão reais. rs

EPISÓDIO 3: SHUT UP AND DANCE

Esse não é um episódio feito pra dar medo, mas me deixou de cabelos em pé. Toda a questão de ameaças de revelar segredos horríveis e a pessoa ficar à mercê de alguém parece muito tenebroso pra mim, mas o final me fez ficar extremamente pensativa e me questionar o quão vilão e mocinho cada um desse episódio realmente era. E o quão tênue é essa linha na vida real, ainda que num nível bem menos agressivo. É aquele lance de que toda história tem dois lados. E aquele lance também de fazer justiça com as próprias mãos. O quão justo ou injusto isso pode ser?

 

 

EPISÓDIO 4: SAN JUNIPERO

O famigerado episódio San Junipero, aquele que fez a cabeça de todo mundo e foi muito falado nas redes sociais… Foi ele mesmo que no começo achei chato pacaraio. Eu não curti a Yorkie (Mackenzie Davis), só a Kelly (Gugu Mbatha-Raw) apesar de achar mega clichêzona, e já estava cogitando a idéia de passar pro próximo episódio quando, boom, o primeiro plot twist acontece. Quando Yorkie começa a mudar as décadas para encontrar Kelly na mesma cidade, o episódio finalmente me ganhou e foi só aí que deu pra entender a tecnologia que fazia ser um episódio de Black Mirror e não de uma série qualquer. O segundo plot twist foi demais também, melhor até que o primeiro, e apesar do final ser previsível, foi merecido. Não tem como terminar o episódio sem amar as duas. <3

 

 

EPISÓDIO 5: MEN AGAINST FIRE

Foi o que achei mais chato na maior parte do tempo, mas valeu demais pela cena final. Infelizmente tem que assistir inteiro pra conseguir entender e ter a reação de “wtf” com o plot twist. Se não fosse isso, eu podia garantir que os 45 primeiros minutos eram descartáveis. rs

 

 

EPISÓDIO 6: HATED IN THE NATION

Eu adoro um bom crime, então esse é outro episódio que caiu como uma luva. Ódio e linchamento online também são questões muito presentes nos dias de hoje e que me fazem me questionar o quão justo pode ser qualquer um dos dois. Ainda não cheguei à uma conclusão. 

A primeiro momento achei que o caso seria solucionado de uma forma previsível, mas graças aos bons roteiristas do seriado, eu me enganei. Mesmo achando o lance das abelhas eletrônicas pífio, eu adorei o desenrolar da trama, e ver a Kelly Macdonald atuando, depois de vê-la só uma vez há anos, em Trainspotting, foi um prazer. 

 

VEREDICTO

Melhor episódio: Nosedive

Pior episódio: Men Against Fire

Episódio mais fofo: San Junipero

Meu episódio preferido because of reasons: Playtest

E vocês? O que acharam da terceira temporada de Black Mirror? Qual foi seu preferido? Me conta! 

No one knows what it means, but it’s provocative

Nem acreditava que estava fazendo aquilo. Há muito tempo que não ousava ir pra tão longe, por conta própria, confiando apenas em si mesmo para não fazer qualquer cagada. Estava suando de tanto nervoso, e por isso fechou as janelas e ligou o ar condicionado, para tentar fingir para si mesmo que estava sob controle.

“Você vem mesmo?” a voz do outro lado perguntou, quando ele atendeu a chamada.
“Sim, eu tô no caminho” disse, tentando não passar toda sua tensão no tom de voz.
“Você tá bem?” é, não deu muito certo.
“Estou sim!”
“Fica tranquilo. Se não der pra chegar na hora não tem problema. Só fique tranquilo”

Respirou fundo e passou tudo pela sua cabeça novamente. Ele não estava tranquilo. Fazia anos que não estava tranquilo de dirigir numa estrada, especialmente à noite. Devia ter se planejado melhor e ter saído antes, ou comprado aquela passagem de avião que viu na noite anterior, mas a cagada já estava feita. Parecia que o mundo tinha conspirado para que tivesse que viver aquilo novamente, da mesma forma que da outra vez, e acabasse com aquele medo de uma vez por todas.

Um carro em velocidade máxima o ultrapassou e seu coração disparou ao ver aquelas luzes passarem tão rápido por ele.

“Eu vou conseguir.” disse antes de se despedirem e encerrarem a ligação.

Há alguns anos tinha passado por um acidente onde quase saiu dali sem vida. Seus dois melhores amigos da época não tiveram tanta sorte. Um deles ainda foi levado para o hospital em estado crítico, mas quando chegou, não tinha aguentado. Por conta disso, passou tanto tempo sem colocar a mão no volante. Há poucos anos resolveu comprar um carro e voltar a usá-lo dentro da cidade. Nunca pegava estrada – ia sempre de avião, trem ou ônibus. Mas nunca mais dirigiu para outra cidade.

Até aquela noite.

Era importante. Não se viam à meses, desde que ela se mudou a trabalho. Tinham passado por momentos estranhos em que nem se sabia se conseguiriam voltar às boas. As duas últimas semanas é que pareciam melhores. Ela conseguiu perdoá-lo por seu erro. Ele estava grato. Por isso nem ligava de dirigir às onze da noite no último dia do ano. Precisava chegar à tempo, e dividir a champanhe que tinha comprado e balançava no banco do lado conforme o movimento do carro.

“Eu não vou conseguir chegar a tempo.”
“Tudo bem, eu disse pra você. Pára em algum lugar, descansa e amanhã você vem.”
“Não é isso.” ele buzinou para um grupo de pessoas que apareciam do nada no pequeno espaço que ele conseguiu para passar. “Eu tô há duas quadras, mas tá tendo uma festa de rua. Eu não consigo andar.”
“Caralho, é mesmo. Eu esqueci disso.”
“Calma. Eu vou dar um jeito.”

Faltavam dez minutos e as pessoas só se enfiavam mais no meio da rua. Estavam todos prontos para abrir suas garrafas e brindar o ano novo que chegava, enquanto ele estava dentro do carro, suando de nervoso enquanto Kanye West cantava com Jay-Z o famoso Niggas in Paris. Que apropriado.

Dez! Nove! Oito!

Talvez se jogar um pouco o carro para o lado…

Sete! Seis! Cinco!

Buzinou algumas vezes. Racionalmente sabia que não dava mais tempo, mas já que estava ali, tentaria até o ultimo instante.

Quatro! Três! Dois!

A porta do carro se abriu e ele tomou um susto. De repente, ela sentava no banco ao lado e pegava a garrafa no banco, estourando de uma vez sem nem pensar duas vezes. Antes de beber, ela o puxou para perto.

Um! Feliz Ano Novo!

Eles se beijaram por alguns instantes enquanto as pessoas gritavam do lado de fora celebrando e os fogos gritavam no céu.

“Perfeito” ela disse em seu ouvido antes de tomar um gole da champanhe e entregar em suas mãos. Nos dois primeiros segundos ele não tinha entendido, mas igual falava a música naquele instante: no one knows what it means, but it’s provocative.

A confusão de ser adulto e Empire Records

Cuidado, pode conter spoilers!

A primeira vez que assisti Empire Records foi quando ainda era criança. Passava na Record, depois Band, e ainda tinha o nome de Império dos Discos, em vez da terrível tradução do título que permanece até hoje, “Sexo, Rock e Confusão”. Naquela época eu adorava o fato de vários personagens existirem e terem sua parte do spotlight da história. Adorava o fato deles poderem colocar a música que quisessem pra tocar enquanto trabalhavam, de terem tanta variedade assim de sons, de serem todos amigos – ou inimigos – e da vida deles ter tanta coisa acontecendo. Naquela época, meu sonho era trabalhar numa loja de discos, porque eu tinha certeza que se isso acontecesse, eu teria um dia-a-dia tão interessante quanto o da personagem da Liv Tyler e da Renee Zellweger. 

Depois de uns anos, eu comecei a enxergar a complexidade de toda a história. Sabe, pra eles, aquilo tudo não era tão divertido assim: uma personagem era taxada de piranha só porque tinha uma vida sexual ativa, a outra tomava inibidor de fome porque achava que precisava emagrecer; o outro cara tinha um amor não correspondido pela colega de trabalho, e ainda tinha a Debra, que tinha tentado se matar um dia antes do que acontecia toda a história. O quão divertido pode ser isso?! 


vomo

Hoje, aos meus 24 anos, eu consigo achar tudo isso e ainda ter a percepção de que Empire Records é uma mistura louca de toda a confusão de ser adulto. Eu ainda acredito que deve ser demais trabalhar numa loja de discos, e uma das minhas grandes vontades na vida é ter uma pra chamar de minha. Mas o que mais me sobressalta é como todo mundo ali, sem excessões, está bem confuso sobre sua própria vida.

O personagem que hoje eu sei porquê gosto tanto é o Lucas (Rory Cochrane). O Lucas é o personagem cuja a vida tá numa boa e ele só tem uma responsabilidade básica, que é fechar a loja com segurança. Aí então aparece um problema que ele tem certeza que consegue resolver. Não consegue. Aí ele acha que consegue resolver o problema maior ainda que causou… Mas não consegue. Não consegue, e admite sua fraqueza – e que naquele tempo inteiro, ele não sabia é de nada. E é quando ele finalmente admite que não sabe de nada, que ele recebe ajuda, e finalmente consegue resolver o tal problema. 

né nom?

Não sei vocês, mas isso me parece o mais perto do que é a confusão de ser adulto, de achar que consegue, mesmo sem conseguir, e finalmente entender que precisa de ajuda, sim. Que a gente não vira adulto e entende tudo o que precisa fazer. Tudo o que é certo, errado, e que na real, na real mesmo, não existe muito disso nas nossas escolhas. É mais o que é bom, o que é ruim, e o que é indiferente – e a gente, pouco a pouco, aprende um pouco como isso funciona. Só um pouco. Porque ser adulto é perceber que até nossos pais estão perdidassos nessa coisa louca chamada vida. 

Eu acho que Empire Records tem camadas tão complexas sobre o que é a vida, que depois de mais de 20 anos assistindo e reassistindo esse filme, eu não cheguei a conclusão de todas elas. Mas hoje, aos meus 24 anos, essa é a que mais se parece com a minha vida hoje. Com o quão confusa é a vida, e com o quão difícil é chegar à decisão mais coerente. 

Encerro essa reflexão falando: se você nunca assistiu, não deixa 2016 acabar sem ter visto. Esse filme tá aí, desde 1995, esperando pra que você o veja. Vai! Tem na Netflix!!!

Episódios de Natal para alegrar seu… Natal!

Então é Natal… e o que você fez? VAI ME DIZER QUE FICOU VENDO ROBERTO CARLOS NA TV????? 

O Natal tá aí na metade já (FELIZ NATAL GALERE), mas a gente sabe que ainda é pouco pro tanto de horas com programação ruim na TV. Pra salvar você, fiz uma listinha de alguns episódios natalinos de série que são muito bacanas e vale a pena serem revistos. A melhor parte: Tem na NETFLIX! 

THE BEST CHRISMUKKAH
the o.c., primeira temporada

Never forget aquele primeiro episódio de Natal de The O.C. em que o Seth inventa o Chrismukkah, que consiste em sete dias de presentes, seguido pelo dia do Natal, cheio de presentes risos. A melhor parte de todas é a Summer vestida de Mulher Maravilha, como presente de Natal para o Seth. Sdds melhor série da TV.

 

THE ONE WITH PHOEBE’S DAD
friends, segunda temporada

Os episódios natalinos de Friends são um melhor que o outro, mas esse da segunda temporada é um dos meus favoritos. A Phoebe vai em busca do pai dela, que ela acredita ser um cara de fotos genéricas que bem em cartões e porta-retratos. Só podia ser ela, risos.

 

THE BEST CHRISTMAS EVER
that 70s show, primeira temporada

Olha, pra mim, todos os episódios de That 70s Show são ótimos, e esse não fica pra trás. O pai do Eric dá dinheiro pra ele comprar uma árvore de Natal, mas óbvio que ele não faz isso. Ele e os miguxos cortam uma árvore e usam o dinheiro pra comprar cerveja, e aí se ferram, obviamente rs.

 

A VERY MURRAY CHRISTMAS

Olha, não é episódio de Natal, mas é um musical apresentado pelo BILL MURRAY e apesar de não ser um dos melhores filmes dele, tem toda aquela galera que a gente gosta: Jason Schwartzman, Rashida Jones, Amy Poehler, Chris Rock… E se não consegui te convencer o suficiente: BILL MURRAY!!!!!!!!!!

 

Poderia ter colocado mais episódios só pra agradar, mas a verdade é que eu gosto desses mesmo rs. Mas me conta aí, qual episódio de Natal que vale a pena assistir? 

Lista de Presentes de Natal de Última Hora!

Se você é como eu, com certeza deixou pra última hora fazer as comprinhas de Natal pra família, amigos e colegas (quem que dá presente pra tanta gente assim?!). O boy e a mana você com certeza não deixou pra última hora né? Calma. Se você for tão desnaturado(a) assim, tem lista pra você também, mas que estou te julgando, estou risos.

De qualquer forma, a moral da história é que somos todos humanos e cagados, e como o Natal tá aí (gente!!!!! hoje é quinta, helpppp), vou dar aquela ajuda bacana com inspirações de presentes que você pode procurar em qualquer shopping e cidade que vai encontrar algo próximo, pelo menos. Confere!

 

FAMÍLIA

Minha idéia é que: toda mãe adora uns creminho pro corpo, todo pai curte ganhar uma roupa bacana, todo irmão e irmã gosta de coisas bonitas e todo mundo curte algo funcional e/ou divertido.

1- Bolsa Santa Floater, Santa Lolla

2- Caneco com Gel Térmico, Imaginarium

3- Gel de Banho Snow Fairy, LUSH

4- Camiseta Estampada Abstrata, Youcom

5- Camiseta Recortes Listrada, Youcom

6- Toalha de banho, Cotton On

7- Kit Mini Copos Star Wares, Imaginarium

 

AMIGOS


Aí a parada é mais delicada né? O conceito que usei são lojas bacanas que tem roupas ou coisas legais, divertidas e que, se sua turma não curtir, com certeza vai achar algo muito bacana na loja pra trocar. Mas que cagada deixar pra presentear os migos de última hora hein?! rs brinks <3

1- Bomba Sal de Banho Mistletoe, LUSH

2- Copo de Gatinhos, Imaginarium

3- Luminária Cupcake, Imaginarium

4- Boné MMXIII, Youcom

5- Despertador Dinamite, Imaginarium

6- Camiseta My Eyes, Youcom

7- Meia de ET, Youcom

8- Rádio Amplificador Retrô, Imaginarium

 

BOY/MANA

Olha, se você precisa olhar isso aqui eu estou te julgando bastante, mas né, a vida é essa caixinha de surpresas e às vezes a gente faz a cagada de não saber o que dar e deixa pra última hora. Se você tá aqui é porque tá bem desesperado, então prometo que pensei o mais maneiro das idéias pra você!

1- Bomber Jacket Dangerous, Cotton Project

2- Tênis Branco com Patches, Inbox Shoes

3- Blusa com Decote nas Costas, A Mulher do Padre

4- Tênis Branco Puma, Cotton Project

5- Mini Árvore Luminária, Imaginarium

6- T-Shirt Snake, Cotton Project

7- Kit de Natal Karité, The Body Shop

8- Espuma de Banho Snowie, LUSH

 

Espero que vocês tenham curtido as idéias, e que tenha ajudado vocês! Depois me conta aí se deu certo rs

ASFOTOSDE2016FICARAMOTIMAS.EXE

Os vídeos não pararam de sair, e neste ano nós nos empenhamos ainda mais para dar uma cara nova e mais próxima da nossa personalidade para o Tchoi Moi. Nos esforçamos para melhorá-lo cada vez mais, e transformar tudo em algo que você pudessem ver e sentir toda a magia da zuera e do aconchego de amigos que tentamos passar para vocês pelos vídeos.

Mas faz tanto tempo que não aparecemos por aqui, que não há nada mais justo que dar updates de como foi nossa vida em 2016!


DEIXEI UMA PARTE IMPORTANTE DO MEU PASSADO PRA TRÁS
Uma parte ruim, mas importante. E o mais importante dessa fase é que ela foi muito difícil, e por ter sido tão difícil, me trouxe MUITO aprendizado. Conseguir ultrapassar essa barreira me fez forte novamente e me preparou para o ano que estava só começando!

ADOTEI O RISOTO!

Quando dei um passo em direção a uma vida, percebi que a Morcega estava muito lonely e decidi que era hora de ter o segundo filho. Uma escolha que me traria mais despesas mas que trouxe tanto amor pra minha vida que dispensa qualquer tipo de comentário!

ME TORNEI ADULTA

A partir do momento que voltei a mim como única pessoa responsável pela minha própria felicidade, decidi que era hora de correr atrás do prejuízo e compensar todo o tempo perdido. Fiz coaching com a minha eterna amada Aline Liparelli e durante o processo, vi um amadurecimento repentino acontecer dentro de mim e esse foi um marco decisivo pro meu ano. Pro meu ano e pra minha vida! Algo que carrego comigo todos os dias, foi a forma como enfrentei todos os meus dragões e a mulher que eu me tornei por tê-los enfrentado!

ME PERMITI

Me permiti ser eu novamente e experimentar como isso é -vcs deviam tentar também hahaha. Nesse período pude ver que todas as minhas verdades e meus valores continuavam os mesmos e tive a oportunidade de me afastar daquilo que me contrariasse.

CONHECI PESSOAS NOVAS E ABRACEI OPORTUNIDADES NOVAS
Perdida que eu estava no início do ano, me abri pro mundo me engolir. Me engoliu e me cuspiu junto de um monte de gente e um mundo novo. Fiz novas amizades, conheci pessoas diferentes. Fui a lugares que nunca tinha ido. Reencontrei grandes amigos. Tive a oportunidade de deixar pra trás alguns fantasmas com a ajuda de alguém muito importante!

 


APARECI NA TELEVISON
Esse ano eu mostrei meu rostinho bonito na televisão novamente. Nós, do Tchoi Moi, já tínhamos participado de um programa da Paula Vilhena quando ela ainda era da Tv Cultura. Esse ano a Paula trabalhou na Gazeta e o pessoal da produção do programa me convidou para participar do Sobremesa para 2, esse reality show de cozinha/amoroso. Quer saber mais? O link dessa minha vergonha está aqui!

FIZ MINHA PRIMEIRA TATUAGEM
Eu queria fazer minha tatuagem há algum tempo, mas nunca tive a coragem ou o incentivo necessário para ir atrás e realmente fazê-la. Como a Fernanda fez e achei a tatuadora dela super boa, aproveitei no dia que ela foi fazer tatuagens novas e também fiz a minha. Como vocês estão cansados de saber, eu amo Harry Potter e meu feitiço favorito é o Expecto Patronum, por isso o escolhi para ficar comigo para sempre.

CORTEI MEU CABELINHO
Depois de anos deixando meu cabelo crescer, resolvi voltar o cabelo para como era há uns anos atrás: raspado, meio militar chic couture. Tive que praticar um desapego enorme, porque meu cabelo era muito euzinho. Se me arrependi? Sim, sinto muita falta dele, principalmente em vídeos e fotos! hahhahah

VIAJEI PRA CARALHO
Esse ano, felizmente, consegui viajar bastante, tanto internacionalmente quanto por aqui mesmo. Eu fui para Curitiba, Rio de Janeiro, Paris, Londres, Budapeste, Viena e dei uma passadinha por alguns países da Europe antes de chegar na Hungria, como vocês puderam ver no meu primeiro vídeo da viagem. Eu ainda estou postando as coisas de Budapeste, então fiquem ligados lá no canal para não perderem nada!

FIZ MUITA COISA POR CAUSA DO TCHOI MOI
Esse ano rendeu muito, profissionalmente falando. Tivemos muitas oportunidades por conta do nosso canal, como: Ir no show do Edward Sharpe e da Allie X, ingresso para a Skins Convention, sermos a cara da promoção da Mentos, Pré-estréia de filme e muita coisa que ainda não posso falar, mas que vocês verão em breve! Fico muito grato por tudo isso que rolou!

 

 

COMECEI A FAZER TERAPIA
Depois de muito tempo adiando isso, tanto por preguiça quanto por más experiências no passado, eu finalmente comecei a fazer terapia com uma psicóloga incrível e que tem me ajudado cada vez mais a me conhecer e buscar o melhor de mim. Se tem uma coisa que precisa ser a primeira mencionada, é essa; não houve nada tão grandioso e importante pra mim esse ano quanto a terapia. Obrigada, Beth! <3

FUI PARA A CHINA
Se tem um lugar que nunca esteve nem perto da minha lista de lugares essenciais para visitar na vida, era a China. E foi logo o lugar que eu visitei, antes de todos os outros. Foi uma viagem a trabalho, em que eu fui como tradutora para o meu irmão, e foi incrível! Eu amei cada minuto e a frase que mais falei durante as duas semanas que passei por lá foi “nossa eu to muito feliz!”, por que eu estava mesmo! O lugar que mais passamos tempo foi Hong Kong, e foi o lugar que eu passaria mais um mês descobrindo e andando pelas ruas, conhecendo e amando tudo. Recomendo!

Ah, e se você não viu os vídeos, não perde! Clica aqui

COISAS INCRÍVEIS POR CAUSA DO TCHOI MOI
Nós vivemos experiências muito bacanas que não teríamos vivido se não fosse o Tchoi Moi. Fomo na pré-estréia de Vidas Partidas, assistimos ao show do Edward Sharpe and the Magnetic Zeros de camarote, fomos uma das carinhas de uma campanha da Mentos, gravamos com a Paula Vilhena, gravamos no Tea Connection e ainda mais coisas incríveis que vocês vão saber em breve. Foram experiências maravilhosas que só acrescentaram na minha vida e na minha pessoa!

FIZ MINHA PRIMEIRA TATUAGEM…
…e mais um milhão de outras. Mentira, não foram tantas assim rs. Mas eu fiz minha primeira tatuagem, que tem um significado mega especial pra mim, e fiquei tão viciada que fiz mais algumas outras também. Esse era ainda um tabu interiorizado, que nem meu era, mas que finalmente me libertei disso e criei coragem pra fazer! A responsável por não cagar na minha pele foi a Sabrina Conde, do estúdio Sampa Tattoo, que merece tatuar todas as peles do mundo de tão maravilhosa que ela é! 🙂

ADOTEI A POPPY
Uma das coisas mais legais que fiz este ano foi ter adotada a Poppy, minha gatinha! Já fazia um tempo que eu queria fazer uma adoção eu mesma, já que os meus outros gatinhos lindos, não são meus filhos né (o Oz é filho de dois amigos, e a Pandinha, do meu irmão e da Marina), então fui caçar em facebook de ONGs que resgatam gatos e cachorros abandonados, e encontrei a Poppy, que antes se chamava Meg, e me apaixonei! Ela é maluquinha que só, super sapeca e só faz arte, mas também é mega carinhosa e adora ficar comigo. Meu amorzinho! <3

 

Em 2017, nos veremos sempre. Preparem-se para não sentir falta da gente, bjs. E vocês, o que fizeram de bom em 2016? Contaí, queremos saber e trocar experiências com vocês!

VÍDEO: Favoritos de 2015

Olha só quem voltamos juntinhos pra um vídeo novo? A GENTE! <3

No primeiro vídeo que gravamos juntos nesse ano, nós falamos de tudo que marcou a gente em alguma forma no ano passado e indicamos tudo para vocês.Tem produto de maquiagem e beleza, tem peças de roupa, tem filme, série, restaurante… Tudo que a gente adora falar com vocês sobre!

Vem ver que tá demaixxxx:


Lista de tudo o que indicamos:

 

FERNANDA

  • Produto de Make Favorito: Batom Açaí – MAC / Batom 209 “Sou Mais Eu” – Maybelline
  • Produto de Beleza Favorito: Escova – Tangle Teezer / Perfume Miss Dior – Dior
  • App Favorito: Cadê Meu Ônibus?
  • Livro Favorito: 40 Days Of Dating – Jessica Walsh & Timothy Goodman / Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado – Lois Duncan
  • Filme Favorito: Mad Max / Que Horas Ela Volta?
  • Série Favorita: Scream / How To Get Away With Murder
  • Restaurante Favorito: Madero / Cão Véio / Mori Ohta
  • Música Favorita: Riptide – Vance Joy / Hotline Bling – Drake
  • Show Favorito: Katy Perry
  • Meme Favorito: Mulher Grava Recado Em Celular de Loja
  • Viagem Favorita: Curitiba

 

RAFAEL

  • Produto de Make Favorito: Primer The Porefessional – Benefit
  • Produto de Beleza Favorito: Regenerador Labial – Bepantol
  • App Favorito: Snapchat
  • Livro Favorito: Lugares Escuros – Gillian Flynn
  • Filmes Favorito: Mad Max
  • Série Favorita: How To Get Away With Murder / Modern Family
  • Restaurante Favorito: Hard Rock Cafe Curitiba / Imakay
  • Música Favorita: Cool For The Summer – Demi Lovato / Run Away With Me – Carly Rae Jepsen
  • Show Favorito: Katy Perry
  • Meme Favorito: Ela falou Hi, eu falei Hellhow
  • Viagem Favorita: Curitiba / Buenos Aires

 

Links Relacionados:

E você, usou/assistiu/visitou alguma das coisas que indicamos no vídeo? O que você achou? Qual foi seu favorito de 2015?

Conta tudo pra gente também!